Pesquisar neste blogue

domingo, 13 de maio de 2012

Pisa - Instantes

Pisa - Camposanto
Pisa - Camposanto
Pisa - Torre Pendente

Pisa - Torre Pendente

O ex libris de Pisa, para além da sua famosa inclinação, que parece desafiar as leis da física, é um edifício fora do comum. Com uma altura notável e um corpo esguio, esta torre é visível de todas as partes da Piazza del Duomo e, provavelmente do Rio Arno, servindo de ligação entre a cidade e o Campo dos Milagres.

Pisa - Torre Pendente - Exterior
Este edifício, originalmente concebido para ser a torre sineira da Catedral, é uma obra de arte em mármore branco, realizada em três fases ao longo de um período de cerca de 177 anos. A construção do primeiro andar começou no dia 9 de agosto de 1173.

Há controvérsia quanto ao autor do projecto original da Torre de Pisa. Alguns dos estudos mais recentes atribuem a autoria do projecto para Diotisalvi, que estava a construir, ao mesmo tempo, o batistério. As semelhanças entre os dois edifícios são muitas. Durante anos pensou-se que a autoria era de Bonanno Pisano.

Pisa - Torre Pendente - Duomo visto do 3º anel

A primeira fase do trabalho foi parada a meio do terceiro andar, devido ao afundamento do terreno no qual se ergue a base da torre. Isto deveu-se a uma fundação de meros três metros sobre um subsolo de areia e argila com pedra e cascalho.

O trabalho foi retomado em 1275 sob a orientação de Giovanni di Simone e Giovanni Pisano que acrescentaram três pisos ao edifício que tendem a curvar na direcção oposta à inclinação, numa tentativa de endireitar a torre.

O sétimo andar foi concluído em 1319 por Tommaso di Andrea Pisano, que conseguiu harmonizar os elementos góticos da sino-câmara com o estilo românico da torre.

Pisa - Torre Pendente - Exterior
Em 1993 foram iniciados trabalhos de restauro e consolidação da torre. As intervenções recentes conseguiram diminuir a inclinação da torre em cerca de 38cm, motivo pela qual foi reaberta ao público.

Na entrada principal podem ver-se desenhos em relevo que simbolizam a supremacia naval de Pisa.

Pisa - Torre Pendente - Relevo

A estrutura da torre incorpora duas salas. A primeira, conhecida pela Sala do Peixe, devido a um baixo relevo que representa um peixe. Esta sala não tem telhado e é a cave da torre.

A outra sala consiste na sino-câmara, no sétimo andar. Delimitada por parede na passagem superior, é aberta no centro, podendo ver-se o piso térreo da torre.

Pisa - Torre Pendente - Campanário

O campanário da torre é composto por um conjunto de sete sinos, sendo que cada um corresponde a uma nota musical.

Pisa - Torre Pendente - Sino Il Crocifisso

Para chegar ao topo temos de subir 294 degraus, divididos em três lances de escadas: uma ininterrupta da base até o sexto anel, outra em espiral, menor, que leva do sexto para o sétimo anel, e, finalmente, uma ainda menor que nos leva até ao cimo do sétimo anel.

Pisa - Torre Pendente - Escadaria
Diz-se que Galileo Galilei deixou cair duas balas de canhão de massas diferentes de cima da torre para demonstrar que a sua velocidade da descida era independente da sua massa.

Pisa - Torre Pendente - Placa evocativa

As vistas do topo do sétimo anel são surpreendentes. Consegue ver-se a cidade e o rio, bem como a organização de todo o Camposanto.
Pisa - Torre Pendente - Vista da cidade

Pisa - Torre Pendente - Topo



segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Pisa - Battistero

Um dos edifícios que mais me surpreendeu foi o baptistério dedicado a São João Baptista. Fiquei deslumbrada a imponência da que é considerada a maior edificação do género em Itália.

Pisa - Battistero - Exterior
  A sua construção teve início em 1152 pelo arquitecto pisano Diotisalvi, cuja assinatura pode ser vista em dois pilares no interior, tendo substituído um outro baptistério, mais pequeno, que existia no nordeste da Duomo. Nicola Pisano, outro famoso arquitecto, foi chamado para continuar a sua construção que terminou no século XIV.
É o maior baptistério na Itália: possui uma circunferência de 107,24 m e uma altura de 54,86 m. A cúpula é coberta com telhas vermelhas na parte virada para o mar e de placas de chumbo para levante. Provavelmente, a diferença na cobertura deveu-se à falta de dinheiro.

Pisa - Battistero - Telhado
A porta virada para a fachada da Catedral é ladeado por duas colunas clássicas. O lintel é dividido em duas camadas. O inferior descreve vários episódios na vida de São João Batista, enquanto a superior mostra Cristo com Nossa Senhora e São João Batista, ladeado por anjos e os evangelistas.

No interior, o despojamento é impressionante, oito colunas monolíticas, competem em altura com as da Catedral, sendo alternadas por quatro pilares, formando uma área central na qual podemos observar a pia baptismal octogonal da autoria de Guido di Como.

Pisa - Battistero - Pia Baptismal
A escultura de bronze de São João Baptista, que se encontra no centro, é da autoria de Italo Griselli.

Pisa - Battistero - São João Baptista
O púlpito foi esculpido entre 1255 e 1260 por Nicola Pisano (pai de Giovanni Pisano, o escultor do púpito da Duomo) com cenas da vida de Cristo nos seus cinco painéis. Nas colunas estão representadas as Virtudes. As cenas do púpitos, com especial destaque para a figura de Hércules nu, fazem de Nicola um precursos do Renascimento.

domingo, 27 de novembro de 2011

Pisa - Duomo

O coração da Piazza del Duomo é, obviamente, o Duomo, um dos mais importantes monumentos pisano-românicos da Toscana, cuja padroeira é Santa Maria Assunta (Santa Maria da Assunção).

Pisa - Duomo - Exterior

A sua construção teve início em 1064 pelo arquitecto Buscheto com o dinheiro acumulado por Pisa como potência naval,  particularmente após uma incursão bem sucedida em Palermo. A Catedral foi inaugurada no ano de 1118, embora ainda incompleta, pelo Papa Gelasio II. Ficou concluída no séc. 13, com a construção da fachadapor Reinaldo, que se mantém inalterada até aos dias de hoje.
Esta igreja, de planta cruciforme tem um corpo central muito longo, dividido em cinco naves por duas filas duplas de colunas com uma cabeceira semicircular no seu fim. O transepto que intersecta o corpo principal é dividido por duas colunatas em três naves.


Pisa - Duomo - Exterior

O seu estilo Românico incorporou elementos de tradições árabes, lombardas, bizantinas e clássicas, configurando a versão toscana do estilo e tornando-se uma influência na arquitectura italiana.

O aspecto actual do edifício é resultado de diversos projetos de restauração que ocorreram em momentos diferentes. As primeiras intervenções radicais seguiram-se a um desastroso incêndio em 1595, após o qual o telhado foi refeito e foram realizadas as três portas de bronze da fachada,por escultores da oficina de Giambologna.

Pisa - Dumo - Porta de Bronze

Se o lado de fora, branco brilhante da catedral é verdadeiramente impressionante, o mesmo pode ser dito sobre seu interior. Aqui os visitantes podem percorrer a enorme nave e os magníficos corredores. A nave da catedral é ladeada por colunas de granito Corintio. Estas colunas são provenientes da mesquita de Palermo. As colunas foram capturadas pelos pisanos e que as trouxeram para a cidade no ano de 1063.

Pisa - Duomo - Nave central
O seu interior possui algumas das maiores obras de arte medieval do mundo, apesar de um incêndio no século 16 ter destruído a maioria delas. Uma que sobreviveu ao fogo é o mosaico na abside. O impressionante mosaico retrata Cristo em Majestade terminado por Cimabue em 1302.

Pisa - Duomo - Cristo em Majestade
No entanto, a peça de arte mais marcante da arte é, provavelmente, o púlpito que também sobreviveu ao fogo.  O púlpito, uma obra-prima de Giovanni Pisano (1302-1310), sobreviveu ao fogo, mas foi retirado durante os trabalho de restauro e só voltou a ser colocado em 1926. 
Os painéis, ligeiramente curvos, com episódios da vida de Cristo esculpidos; a presença de cariátides, figuras esculpidas, em vez de colunas simples, simbolizando as virtudes; o extraordinário sentido de movimento, garantido pela numerosas figuras que preenchem cada espaço vazio fazem deste púlpito a obra-prima de Pisano e da escultura gótica italiana.

Pisa - Duomo - Púlpito de Pisano
O pé-direito no interior é mais elevado do que o normal devido à existência de galerias no segundo piso. As paredes são construídas com faixas alternadas de mármore branco e negro. O teto tem um forro em madeira talhada e dourada, datado do século XVII, obra dos escultores Domenico e Bartolomeo Atticciati.

Pisa - Duomo - Tecto

Pisa - Duomo - Anjo tocheiro de Giambologna


Pisa - Duomo - Interior

Pisa - Duomo - Banco de Bertolli
Pisa - Duomo - Virgo


Uma nota interessante para finalizar relaciona-se com Galileu. O lustre no meio do corredor é chamado de Galileo Galilei, porque diz a lenda que o grande cientista formulou sua teoria, olhando para o pêndulo no tecto da nave. O original é diferente e muito menor, no entanto, está agora na capela Aulla no Campo Santo.

Pisa - Duomo - Galileo Galilei

Pisa - Piazza del Duomo

Esta praça, situada no Norte da cidade, está classificada como Património da Humanidade pela Unesco desde 1987.

A Piazza del Duomo é constituída por um conjunto de edifícios dos quais se destacam: Duomo, Battistero, Campanile, Campo Santo.

Pisa - Piazza del Duomo
Créditos - http://cmapspublic.ihmc.us/

A Piazza del Duomo é vulgarmente conhecida como Piazza dei Miracoli. Este nome foi criado por um escritor italiano chamado Gabriele d'Annunzio que, no seu romance Forse che sì, forse che no descreveu assim a praça: L’Ardea roteò nel cielo di Cristo, sul prato dei Miracoli.
A frase sintetiza o espanto e a admiração de todos aqueles que durante séculos passam para dentro das muralhas através da porta ou que surgem vindos da Via S. Maria e abraçam num único olhar a brancura pura dos monumentos erguendo-se sobre o verde exuberante da relva.

Pisa - Piazza del Duomo - Vista geral
Créditos - http://redfiretrees.deviantart.com/
É considerada o centro artístico e turístico mais importante de Pisa e um dos centros de arte medieval mais importantes do Mundo.

Pisa - Mais que a Torre

Conhecida mundialmente pela Torre inclinada, esta cidade, da região da Toscânia, tem cerca de  85 000 habitantes e abriga a Universidade de Pisa, uma das mais conceituadas de Itália.

Em termos históricos durante a Idade Média, Pisa dominou o Mediterrâneo Ocidental. A riqueza proveniente do comércio permitiu uma revolução cultural que é vidente nos magníficos edifícios da cidade. O declínio de Pisa tem início em 1284, com a derrota frente a Génova e foi agravado pelo assoreamento do porto. Diz a tradição que foi no porto de Pisa que S. Pedro desembarcou para pregar o Evangelho, tendo seguido daí para Roma.

Descobertas arqueológicas recentes revelaram a existência de um grande porto fluvial da época romana no seu subsolo. O antigo porto encontra-se sob a estação ferroviária de San Rossore e Pisa fica a 17km do mar.

Fiquei deslumbrada quando passo de carro e sem contar por uma porta tenho a primeira visão da Piazza del Duomo, não pela dimensão, porque tal como é habitual a Torre é mais pequena do que imaginava, mas pelo conjunto dos edifícios... de cortar a respiração.

Pisa - Mais que a Torre - Porta Nuova
Por uma questão de tempo limitei a minha visita à Piazza dei Miracoli. Fiquei com vontade de voltar e percorrer as ruas em volta do Rio Arno.

Pisa - Mais que a Torre - Mapa da cidade
Eu cheguei a Pisa de carro, uma vez que estava em Bolonha. Contudo, a cidade dispõe de um aeroporto o Galileo Galilei International Airport, também conhecido por Pisa-San Giusto Airport, que fica a um kilómetro do centro da cidade. O aeroporto tem a sua própria estação de combóios. Existem voos low cost de Portugal para este aeroporto.